Sign in or signup
Radio Streams
SA Radio
24/7 Radio Stream
VCY America
24/7 Radio Stream

CODE #

My Favorite Things
Home
NewsSITE
Events | Local | Blogs
New Audio | Video | Clips
Broadcasters
Church Finder
Webcast LIVE NOW!
Sermons by Bible
Sermons by Category
Sermons by Topic
Sermons by Speaker
Sermons by Date
Staff Picks
CommentsALL -40 sec
Top Sermons
Daily Log
Photos
Stores
Online Bible
Hymnal
Daily Reading
Our Services
Sermon DashboardNEW
Members Only

Pastores da IBR | São Paulo, Brazil
Contact Info | Edit
•  Email  |  Web
www.igrejaredencao.org.br
•  Twitter
•  Facebook
ADDRESS
Igreja Batista Redenção
Av. Gen. Ataliba Leonel, 3780
São Paulo - SP
02242-002
Brasil
Podcast + Codes
•  Apple iTunes | Video
SERMONS EMBED | Info
Mobile Apps | Info
•  ROKU TV
•  Apple TV
•  Chromecast
Enjoy sermons from this broadcaster
on a variety of mobile devices.
MyChurch: igrejaredencao | Set
MyChurch Code#: 63668
Our Blog
Older
Newer
Blog
Post+
Search
  
Filter By

Salmo 76 - A Admiração Diante da Vitória
SATURDAY, JULY 27, 2019
Posted by: Igreja Batista Redenção | more..
100+ views
Asafe tinha um herói, a quem passou a admirar ainda mais depois de uma vitória marcante. O Salmo 76 é o registro do louvor de quem viu o Senhor agir em favor de um povo e uma cidade que não tinham em si capacidade de deter ou vencer o inimigo. Não é para menos. Asafe demonstra o poderio militar dos inimigos que atacaram Judá com termos fortes e sugestivos como (vv.3,5 e 6, respectivamente) “relâmpagos do arco” (rishfê-qashet), “valentes” (’avvîrê lev – lit. “poderosos de coração”) e “carro [de guerra] e cavalo” (rekev wasûs). Quanto maior é o poder do inimigo, maior é a admiração do salmista ao ver a libertação divina, admiração essa que o leva imediatamente ao louvor (v.11). Essa admiração de Deus e de seus feitos é o resultado de quatro percepções que o salmista tem a partir da libertação.

A primeira percepção é que Deus é imanente. Ser imanente significa que Deus se faz presente na história humana, especialmente junto aos seus servos, interferindo nos acontecimentos e aceitando se relacionar com as pessoas. Por isso, ainda que sejam verdadeiras a transcendência divina (1Rs 8.27) e a incapacidade do homem de entender completamente o Senhor (Jó 5.9; 11.7-9; Is 55.9), o salmista diz (v.1): “Deus se manifestou em Judá” (nôda‘ bîhûdâ ’elohîm). Se a essência de Deus não pode ser vislumbrada pelo homem, Deus se dá a conhecer por meio dos seus atos. Ao mostrar-se, o Senhor demonstrou sua grandeza: “Seu nome é grande em Israel” (beyisra’el gadôl she).

A revelação pessoal de Deus não é um acidente de percurso, mas uma iniciativa pessoal do Senhor, já que, não apenas chamou Israel para ser seu povo pactual, como se introduziu no meio do povo e da sua vida por meio da construção e do significado do tabernáculo (v.2): “Pois está em Salém a sua tenda e em Sião a sua habitação” (wayhî beshalem sukkô ûme‘ônatô betsîyôn). Salém e Sião são duas designações da cidade de Jerusalém, onde um tabernáculo foi erigido por Davi para receber a arca até o tempo em que Salomão construiu o templo.

A segunda percepção é que Deus é poderoso. A não ser quando Israel se tornava alvo da disciplina do Senhor, sua imanência entre os israelitas trazia a eles proteção. Essa é a razão desse salmo. O autor diz que em Jerusalém (cf. v.2) o Senhor protegeu seu povo vencendo um inimigo poderoso, bem armado e letal (v.3): “Ali ele despedaçou os relâmpagos do arco, o escudo, a espada e a batalha” (shammâ shivvar rishfê-qashet magen weherev ûmilhamâ). A libertação, segundo o salmista, foi tão magnífica que sua visão de Deus foi enaltecida pelo conceito da glória (v.4): “Tu és resplandecente e magnífico” (na’ôr ’attâ ’adîr).

A descrição do local do livramento e o poderio desbaratado do inimigo fazem alguns estudiosos crerem que o salmo trata da libertação de Jerusalém do ataque anunciado por Senaqueribe (2Rs 18.19-37), frustrado pela ação de Deus de, em uma noite, fazer perecer 185 mil soldados assírios (2Rs 19.35-37), encerrando sua campanha militar. Essa é uma sugestão que deve ser considerada, já que o salmista fala do grande poderio que foi vencido (vv.5,6): “Os valentes foram despojados. Eles dormiram seu sono e nenhum dos homens fortes pôde contar com seus punhos. Por causa da tua repreensão adormeceram tanto o carro como cavalo, ó Deus de Jacó” (’eshtôlelû ’avvîrê lev namû shenatam welo’-mats’û kol-’anshê-hayil yedêhem migga‘arateka ’elohê ya‘aqov nirdam werekev wasûs). Leve-se em conta que esse sono e a ação de dormir são eufemismos para a morte dos soldados, dos charreteiros (os carros aqui citados são uma figura para se referir aos seus condutores) e das suas montarias. Não é sem razão a admiração do salmista, visto o expresso e revelado poder divino na vitória.

A terceira é que Deus é temível. Asafe declara exatamente isso (v.7): “Tu és temível” (’attâ nôra’). Esse fato está assentado sobre outra qualidade do Senhor que é a sua justiça. Assim, a razão para ser temido pelos homens é sua ação de castigar o mal (v.8a): “Dos céus anunciastes tua sentença” (mishammayim hishma‘ta dîn). O resultado prático de tal juízo torna Deus temível diante dos homens, pois seu julgamento não é apenas uma declaração, mas a concretização de ações poderosas. Sua sentença vem com força e efeito a fim de promover juízo. Desse modo, Deus é tanto o juiz que dá o veredito contra o mal como o oficial de justiça que faz cumprir a sua decisão.

Nesse sentido, a atuação de Deus é dupla, pois ele, em primeiro lugar, traz o direito que alivia os oprimidos (vv.8b,9): “A Terra se aterrorizou e se acalmou ao se levantar Deus para executar o juízo e para libertar todos os aflitos da Terra” (’erets yor’â weshaqatâ beqûm-lammishpat ’elohîm lehôshîa‘ kol-‘anwê-’erets). Em segundo lugar, ele destrona os perversos da sua posição de arrogância e maldade (v.12): “Ele suprime o fôlego dos príncipes” (yivtsor rûah negîdîm). A ideia formada por essa frase é que o Senhor os impede de encher o peito orgulhosamente, abatendo-os e humilhando-os. A conclusão é a mesma do início do v.7, acrescida da indicação de que ninguém há que possa escapar dessa realidade: “Temível és aos reis da Terra” (nôra’ lemalkê-’arets).

A última percepção é a de que Deus é louvável. A admiração do salmista, por fim, repousa sobre a dignidade do Deus de toda a Terra, a qual é merecedora do louvor de seus servos. O curiosos é que ele não é louvável apenas por trazer libertação e paz aos seus, mas por trazer também juízo aos ímpios (v.10): “Pois a ira do homem te exalta” (kî-hamat ’adam tôdeka). À primeira vista, essa frase é confusa. Entretanto, esse é um modo de exaltar uma ação por meio do seu efeito. Nesse contexto, no qual Deus se levanta contra os inimigos de Judá, o que produziu a ira desses homens foi a atuação punitiva do Senhor sobre eles. Assim, seu nome é exaltado quando ele julga o mal e pune os pecadores. Parece ser a mesma ideia de Paulo de que Deus é revelado e glorificado tanto nos “vasos de misericórdia” como nos “vasos de ira” (Rm 9.22-22). Por isso, o salmista completa: “Tu te cercas dos sobreviventes da ira” (she’erît hemot tahgor), possivelmente transmitindo o conceito de que Deus é glorificado até nas lembranças e nos relatos contados pelos que viram seu poderio ruir diante do poder do soberano Senhor.

A ira dos inimigos punidos também aponta para o louvor do povo que busca a Deus pela demonstração da fidelidade divina (v.11): “Façam votos ao Senhor, vosso Deus, e cumpram” (nidarû weshallemû layhwâ ’elohêkem). Em situações de calamidade e de iminente destruição, era comum os homens fazerem votos a Deus pedindo libertação. O que o salmista ordena é que tais votos sejam pagos em atitude de fidelidade. Assim, o temor a Deus mostra seu lado reverente na adoração dos servos que admiram seu Senhor e o louvam com atitudes práticas: “Tragam ofertas para aquele que é temível, todos [vocês] que estão à sua volta” (kol-sevîvayw yôvîlû shay lannôra’).

Deus é, sim, admirável e digno de todo louvor, temor, respeito e submissão. Por que será, então, que as pessoas têm mais disposição de admirar e exaltar os feitos dos homens que exaltar aquele que lhes deu tais habilidades e cujo poder e glória são incomparáveis? Talvez seja porque, até mesmo naqueles que já foram perdoados e transformados pela graça de Deus, haja uma pontinha – maior ou menor – da mesma soberba que é alvo do juízo divino. Tal soberba tende a valorizar o homem em detrimento de Deus para que o próprio homem receba um pouquinho da glória que pertence apenas ao Criador soberano. Por isso mesmo, o povo de Deus deve notar essa raiz da antiga erva daninha e erradicá-la totalmente. Sendo assim, que nossa maior admiração seja constantemente direcionada àquele que faz o que ninguém pode igualar e que é tudo sobre todos, cumprindo a ordem dada por meio do profeta: “Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o Senhor e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor” (Jr 9.24).

Pr. Thomas Tronco

Category:  Reflexões diárias

post new | clone this | rss feed | blog top »
Text feature this blog entry
Our Blog
Older
Newer
Top



Dr. James M. Phillips
From Eternity to Eternity

Dr. Jim on Mission Field
Midweek Service
Discover The Word With Dr Jim
Play! | MP4 | RSS


Pastor Bill Weaver
But Jesus

Sun PM Messages
Auburn Baptist Church
Transcript!Play! | MP4

Drew McKeown
Clinging to Christ

Fearless in Faith
Drew McKeown
Play! | MP3

Kevin Swanson
The Joker - Movie Review

Is this a Comedy or Tragedy?
Generations Radio
Play! | MP3

Stephen MacKenzie
Can Gays Be Saved?

Romans
Fishers of Men Bible...
Video!Play! | MP4

Sermon: Power/Responsibility of Pulpit
Dr. Sacha Walicord

SPONSOR | 14,100+

SPONSOR




                   
Let God have your life; He can do more with it than you can. ... D. L. Moody


Gospel of John
Cities | Local | Personal

MOBILE
iPhone + iPad
Church App
Watch
Android
Church App
Fire Tablet
Wear
Chromecast TV
Apple TV
Android TV
ROKU TV
Amazon Fire TV
Amazon Echo
Kindle Reader


HELP
Knowledgebase
Broadcasters
Listeners
Q&A
Uploading Sermons
Uploading Videos
Webcasting
Tips & Tricks
YouTube Screencasts
2-MINUTE TIPS

FOLLOW
Weekly Newsletter
Staff Picks Feed
SA Newsroom
RSS | Twitter | Facebook
SERVICES
Dashboard | Info
Cross Publish New!
Audio | Video | Podcast
Sermon Player | Video
Church Finder | Info
Mobile & Apps
Live Webcasting
Listen Line
Events Support
Transcription | PowerClips
Billboards | Biz Cards
Solo Sites
Favorites | QR Codes
Online Donations
24x7 Radio Stream
INTEGRATION
Embed Codes
Goodies
WordPress
Twitter
Facebook
Logos | e-Sword | BLB
JSON API

BATCH
Transfer Agent
Protected Podcasts
Auto-Upload Sermons
Upload via FTP
Upload via Dropbox
Picasa
ABOUT US
The largest and most trusted library of audio sermons from conservative churches and ministries worldwide.

Our Services | Articles of Faith
Broadcast With Us
Earn SA COINS!
Advertising | Local Ads
CONTACT
info@sermonaudio.com
Privacy Policy | Support Us | Stories